Fome zero PPC  

Síntese: HORTAS COMUNITÁRIAS PPC:

O objetivo principal é criar em todos os municípios e lugarejos hortas comunitárias na proporção das necessidades de seus habitantes, criando cursos de capacitação em diversas áreas relacionadas ao programa, sendo administrado por meio de associações que irão dirigir a organização com a participação do governo federal, estado e municípios atendendo aos interessados ao implantar e no atendimento das instalações dando suporte técnico e financeiro necessário. Para tanto, a disponibilidade de material didático é fundamental (apostilas, sementes, ferramentas e demais recursos).

As primeiras etapas sociais do PPC Partido Progressista Cristão é a criação das hortas, pisciculturas, e criatórios de frango Comunitários. O Programa de Hortas Comunitárias será criado pelo presidente da República eleito pelo PPC e pelas prefeituras no governo do PPC para atender a todos os brasileiros, principalmente aos carentes. Os locais serão públicos e privados, como: escolas, creches, centros comunitários, etc., bem como, por exemplo, comunidades formadas pelas associações, utilizando áreas disponíveis e de uso comum (particulares ou públicas), onde são dadas todas as orientações técnicas de como fazer e fornecido empréstimos com juros de 2% ao ano. A finalidade é que os trabalhadores e suas famílias, que vivem em áreas rural e urbana, tenham a possibilidade de cultivar, em conjunto, hortaliças para o seu próprio consumo e comercialização para complementar a renda familiar com a venda de excedentes da produção.


Que as crianças sejam inseridas neste programa objetivando estimulá-las a entrarem em contato com a horta, mostrando seu cultivo e sua importância na alimentação, resultando sempre, nesses casos, a possibilidade de transformar áreas abandonadas em áreas produtivas, contribuindo para desenvolver uma maior conscientização quanto ao uso do meio em que vivem e o respeito às complexas relações existentes entre os seres vivos e o meio ambiente, além do incentivo do trabalho em conjunto.

Etapas de implantação do Programa de Hortas Comunitárias PPC

a) As comunidades formam uma associação com o objetivo de fazer uma horta em comum;
b) O Governo Federal em conjunto com o estado e o município realizam uma visita ao local onde se pretende implantar uma horta, analisando os seguintes fatores: as condições do solo, disponibilidade de água e número de pessoas envolvidas. Onde não houver água serão abertos poços artesianos;
c) O governo Federal libera o empréstimo para as associações vindo do BNDES;
d) Será realizado um curso teórico-prático no próprio local onde será instalada a horta;
e) O preparo da área será feito pelos próprios interessados com financiamento pelo BNDES;
f) Retorno para entrega do kit de sementes e orientação prática sobre a confecção de canteiros e semeadura;
g) Visitas técnicas periódicas e acompanhamento ao longo do ciclo da cultura.

Foto: Construção de poço tubular profundo em Altinópolis, SP. O Ministério de Agricultura do Governo Federal vai financiar os conjuntos de irrigação para atender as hortas comunitárias em todos os municípios e kibutz criado pelo governo PPC Brasil. Os kits compreendem um conjunto, incluindo moto-bomba, bomba de sucção, tubos e aspersões. Eles vão ser utilizados em áreas de até 4 hectares e cada kit beneficiará muitas famílias. A estimativa é que as hortas deverão proporcionar toneladas de hortaliças/ano, visando ao consumo próprio. O excedente deve ser comercializado para ter renda superior a um salário mínimo para cada trabalhador associado.

ESPAÇOS

Espaços disponíveis para a implantação das hortas:


I - Perímetro urbano: os espaços disponíveis para a implantação da horta são aqueles existentes nos locais onde há interesse. Podem ser áreas a partir de 3m2
II - Perímetro rural: podendo ser em área de 4(quatro) hectares. Se não houver terreno e água disponível o governo federal financiará a compra do terreno e a abertura de poços.


Destino da produção: a produção obtida será distribuída entre os participantes da associação comunitária, o excedente será comercializado para cobrir os custos (contas de água, aquisição de outros equipamentos, etc.). No caso das escolas e creches, os produtos obtidos serão utilizados na complementação da merenda escolar adquirida pelas prefeituras.


Envolvimento da Comunidade: para que o Programa obtenha resultados satisfatórios, é imprescindível o comprometimento das pessoas designadas para as tarefas correlatas. No caso, o papel mais importante cabe aos associados que dirigem os trabalhos de rotina, dependendo do seu esforço, capacidade de articulação e do seu grau de envolvimento para com o resto da comunidade.


Produtos plantados: serão distribuídos vários tipos de sementes de legumes e verduras. Entre as hortaliças plantadas, podemos citar: alface, couve, cenoura, beterraba, cebolinha, salsa, coentro, pepino, quiabo, chicória, espinafre, entre outros, num total de 16 espécies no inverno e 22 espécies no verão.

O adubo utilizado: o adubo utilizado é o composto orgânico obtido no município, caso falte, ensinaremos a fazer a composteira (utilização de cascas, restos de folhas, etc., para fazer adubo orgânico) no próprio local da horta, ou utilizar esterco animal, cinzas ou outros. Não utilizamos fertilizantes químicos - o único produto químico será o calcário para fazer a correção da acidez do solo.


Ação Integrada para o Abastecimento: entende-se por abastecimento alimentar, todas as atividades ligadas à produção, à comercialização e ao consumo de alimentos. Assim, o Ministério da Agricultura procurará atuar junto à população dirigindo-se para as necessidades da mesma. Nesse sentido, entende-se que é seu papel procurar aproximar o eixo da produção do eixo consumidor, melhorando as condições dos produtores (principalmente os pequenos), bem como diminuindo os custos para os consumidores, notadamente os de menor poder aquisitivo. Seguindo essa linha, a atuação do Governe Federal, estados e municípios devem se dar em três grandes frentes:

Comercialização: que procura atingir produtores e consumidores, propiciando situações as quais são possíveis a sua aproximação, garantindo aos primeiros a colocação de seus produtos, a preços justos, de acordo com as condições de mercado, além do preço adequado, o acesso a produtos de qualidade.
Produção: que busca viabilizar a produção de legumes e verduras em perímetros urbanos e rurais ociosas do município, situam-se aqui no momento, as "Hortas Comunitárias".

Educação: que procura levar informações sobre alimentos à comunidade, por meio de folhetos informativos com orientações. A qualidade dos alimentos é uma preocupação que está inserida em todas as ações do governo, das associações que têm como filosofia aumentar e estimular o nível de consciência dos cidadãos, em relação aos seus direitos enquanto consumidores. Em função disso os produtores também são conscientizados da importância da qualidade dos produtos.

Prioridades: as ações desenvolvidas, bem como, as ações propostas que são orientadas com base em três diretrizes fundamentais:

a) garantia da comercialização de alimentos na via urbana;


b) garantia de qualidade dos serviços prestados;


c) garantia de qualidade dos produtos comercializados.

 

São milhares de crianças e adultos morrendo de fome no Brasil
por culpa dos governantes cainista.

Quando um homem governa e tem comunhão com Deus o povo tem sossego e prosperidade, pois Deus é com o governante e este, por sua vez, é com os governados. Foi assim com Moisés que por 40 anos andando no deserto, aquela nação não plantava, não comprava e não vendia, e não lhes faltava o que comer. Suas roupas não rasgavam. Josué sucessor de Moisés teve êxito porque tinha o Espírito de Deus, como teve seus antecessores, mas quando Josué faleceu sem deixar um sucessor, digo, um homem que tivesse o Espírito de Deus, os governados caíram na servidão do Rei Cusã e tiveram oito anos de servidão porque Cusã tinha a mesma cultura que têm os governantes brasileiros. O povo clamou por um libertador. Deus ouviu o clamor, separou Otoniel e o encheu do seu Santo Espírito. E Otoniel pesou sua mão contra Cusã e governou por 40 anos e foi este período de sossego porque Deus estava com Otoniel, ele morreu e o povo caiu novamente na servidão por 18 anos, servidão esta que se assemelha à do povo brasileiro, pois quem passou a governar foi Rei Eglom, ímpio adorador de baalins. O povo clamou novamente e Deus despertou Eúde que passou a governar e tiveram oito anos de sossego. Foi assim! É assim quando uma nação é governada com Deus e sem Deus.


Eurípedes José. Farias
Presidente nacional do PPC

Criatório de frangos | Piscicultura | Horta Comunitária

COMO FAZER?

Voltar